Tendinite no Manguito Rotator






O manguito rotador é um grupo de 4 músculos  que cobrem a cabeça do úmero e trabalham em conjunto nos movimentos de elevação e rotação do braço. Esses músculos se inserem no úmero e são de  fundamental importância na força e na estabilização da articulação do ombro.

Os músculos que constituem o manguito rotador são: subescapular, supra-espinhoso, infraespinhoso e redondo menor.

 

 

FIG. I.  Manguito rotador – vista anterior e posterior do ombro

 

 

                  

       

As lesões do manguito rotador são também conhecidas como doença do manguito rotador, síndrome do impacto, tendinite do supra-espinhoso ou síndrome do arco doloroso do ombro.   

As lesões do manguito rotador variam de indivíduo para indivíduo, podendo  acometer um ou mais tendões do manguito. Os tecidos lesionados podem apresentar  microtrauma, inflamação crônica ou aguda, fibrose, alterações degenerativas, ruptura parcial ou completa, e o impacto do tendão abaixo  do osso acrômio. Por causa deste último fator (impacto tendão/osso) o indivíduo sente dor quando vai elevar o braço ao lado do corpo (abdução do ombro). A incidência dessa patologia é maior nos indivíduos acima de 50 anos.

 

FIG. II.  Movimento de abdução do ombro.

 

 

 

SINTOMAS.

Os sintomas variam de acordo com o estágio da lesão. A dor pode ser constante ou intermitente. O movimento do braço geralmente está completo  ( a amplitude do movimento é completa ) porém,  a abdução do braço frequentemente provoca dor em algum ângulo .Quando há ruptura completa do tendão, o paciente é incapaz de elevar o braço.

 

CAUSAS.

Raramente a dor é causado por um trauma (ex. uma queda sobre o braço). A maioria das lesões do manguito está relacionada a movimentos repetidos no trabalho ou nas tarefas domésticas (overuse). È comum não se saber as causas dessas lesões. (Chard at all, 988). 

O consenso parece ser que a origem do problema ser causado  por vários fatores sendo que a contribuição de cada fator na lesão varia de indivíduo para indivíduo. Estas causas são:

     ·   Alterações da vascularização na região do  tendão.

     ·   Degeneração do tendão devido ao avanço da idade.

     ·   Stress mecânico ( overuse ou trauma ).

     ·   Alterações anatômicas da articulação acrômio clavicular.

 

Trabalhadores que mantêm seu braço elevado em posições estáticas ou que executam movimentos repetidos de elevação do membro superior podem desenvolver a patologia do manguito. Nesta categoria de trabalhadores podemos estão incluidos  os soldadores, pintores, digitadores,  operários das linhas de montagem e outros. Atletas de tênis, basquete e natação também fazem parte do grupo de risco.

 

A PATOLOGIA.

A lesão do manguito evolui, passando por várias fases. A primeira fase é a inflamatória. A fibrose e o espessamento do tendão e da bursa podem vir a seguir. Mais tarde, não há mais inflamação do tendão e corpo parece não ter conseguido,  sozinho,reparar a lesão. A falha em reparar a lesão leva a uma tendinite crônica (tendinose), fazendo com que o tendão sofra mudanças degenerativas dos seus tecidos. Na tendinose, o tendão se torna fraco e incapaz  de voltar ao seu estado normal.

 

TRATAMENTO MCKENZIE.

 

Durante a recuperação da lesão, cada fase exige um tratamento específico. Se houver falha  em qualquer uma  dessas etapas , a recuperação da lesão fica comprometida, o reparo do tendão  torna-se inadequado e ineficaz. Ocorrem mudanças patológicas crônicas. Ou seja, o tendão não se recupera totalmente e o indivíduo pode voltar a sofrer novas lesões. 

 

È importante termos bem definidos:

 

     ·   O tempo de repouso.

     ·   Quando começar o fortalecimento do tendão e qual carga  a ser colocada.

     ·   Como recondicionar e reabilitar o tendão.

     ·   Quando liberar o tendão para a atividade física ou retorno ao esporte.

 

 

Muitas tendinites e distensões musculares se tornam recorrentes pelo desconhecimento do tratamento adequado.

 

O protocolo McKenzie deverá se adequar às várias fases evolutivas dessa lesão. Na fase inflamatória, o paciente é aconselhado a restringir o uso do braço, especialmente os movimentos de elevação do membro superior acima da cabeça.Nas fases seguintes,  o fortalecimento e o recondicionamento gradativo do manguito deverá ser introduzido.


A progressão da carga dos exercícios  é feita  em consultas subseqüentes ao fisioterapeuta, nas quais a mecânica  e a função da articulação do ombro será  reavaliada. Todo o programa de exercícios é feito pelo próprio paciente em sua casa ou no trabalho. Os exercícios deverão ser feitos 2 x ao dia.


Os exercícios visam a maturação do tendão e seu recondicionamento, evitando-se assim novas recidivas. Exercícios dinâmicos e estáticos devem ser usados para estimular o tecido que teve sua cicatrização e reparo incompletos.

 

 

RUPTURA  DO TENDÃO.

Quando o tratamento clínico não for eficaz, após vários meses, pode-se iniciar tratamento cirúrgico baseado na patologia básica (proeminência acromial, alterações acromioclaviculares, ruptura tendinosa ou combinação de várias). As possibilidades cirúrgicas incluem, entre outras:

 

     ·   Acromioplastia.

     ·   Retirada de osteófitos acromioclaviculares.

     ·   Sutura do manguito.

     ·   Desbridamento da lesão e bursectomia

 

AS FALSAS TENDINITES DO OMBRO.

 

Achamos importante alertar os pacientes com dor no ombro para as falsas tendinites. Problemas cervicais podem irradiar dor para os ombros e provocar sintomas semelhantes aos da síndrome do manguito rotador. Nesses casos, é  comum  o paciente sentir somente  a dor irradiada no ombro , sem sentir qualquer sintoma cervical ; mas a verdadeira origem da dor se encontrar na região cervical. A ressonância magnética do ombro destes pacientes pode acusar lesão do manguito rotador e mesmo assim, a dor ser de origem cervical. Estes pacientes só terão a dor do ombro abolida quando tratarem da sua coluna cervical.


Em outras palavras, o diagnóstico de imagem (ressonância magnética ) do ombro pode apresentar alterações que são comuns com o avançar da idade e não provocarem sintoma no ombro. O sintoma, como já foi dito, pode ser de origem cervical.

Em outros casos, alterações dentro da articulação do ombro -  desarranjos articulares  ( Vide dores articulares nesse site ) podem também produzir dor e perda de força muscular , e serem confundidos com as tendinites. Testes mecânicos do ombro, da avaliação McKenzie, são capazes de diferenciar qual a verdadeira origem da dor.

É fundamental sabermos diferenciar estas patologias, antes de tratarmos a dor do ombro. O desarranjo da articulação do ombro, as dores irradiadas da coluna cervical e as verdadeiras tendinites do ombro são patologias distintas que requerem tratamentos distintos.


Tendinite no Manguito Rotator Tendinite no Manguito Rotator Editado por saude.chakalat.net on 10:38 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.