Saiba como surge e as fases da Sindrome do Impacto que causa a tendinite





A síndrome do impacto é o que antigamente chamava-se de “reumatismo” ou “bursite” do ombro.
Síndrome do impacto é o nome dado a doença causada pelo atrito que ocorre nos tendões que movimentam o ombro.
Este atrito ocorre entre dois ossos: o úmero (braço) e o acrômio (ponta do ombro).
O impacto ocorre, principalmente, quando dormimos, trabalhamos com o braço acima da cabeça ou, quando abduzimos o braço (movimento de abrir o braço para o lado).

Isto ocorre porque nessas situações diminui o espaço entre os dois ossos.

Fatores que favorecem a Síndrome do Impacto

A forma e a espessura do osso acrômio - Normalmente o acrômio deve ser reto e fino.

Quando esse osso é curvo ou espesso há uma predisposição para o impacto.

A qualidade do tendão - Pacientes com essa doença apresentam um tendão com qualidade prejudicada (resistência, consistência, elasticidade, hidratação, etc.).

Envelhecimento - O envelhecimento leva a formação de esporões nos ossos e diminui a força e resistência dos tendões.

Microtraumas repetitivos – Movimentos repetitivos favorecem o atrito.

Manguito Rotador

Manguito Rotador é o nome dado ao conjunto dos quatro tendões que cobrem e movimentam a articulação do ombro. Esses tendões são os afetados na Síndrome do impacto.

Estágios ou fases desse impacto

Síndrome do Impacto – Ocorre o atrito mas não há rompimento do tendão. Caracteriza-se por tendinite e bursite.

Rotura parcial do manguito rotador – O atrito é mais intenso chegando a romper parcialmente o tendão.

Rotura completa do manguito rotador – O atrito é ainda maior. Ocorre rompimento do tendão em toda a sua espessura.

Rotura com retração do coto tendíneo

Artropatia do manguito rotador – Há um grande rompimento dos tendões levando ao desgaste e envelhecimento da articulação (artrose).


Sintomas da Síndrome do Impacto ou Rotura do Manguito Rotador

O principal sintoma é a dor. A dor geralmente é pior à noite e ao trabalhar com o braço acima da cabeça (pegar objetos em armário alto, lavar a cabeça, pentear-se). Fraqueza, barulho (crepitação) e perda de movimento são outros sintomas.

Diagnósticos

A melhor maneira para fazer o diagnóstico é a conversa (anamnese) e exame físico.
Para complementar o diagnóstico, pode-se associar alguns exames complementares (Raio X, ultrassonografia, ressonância magnética).

Dicas para Profissionais:
  • Guia de Testes Ortopédicos
  • Curso de Agulhamento a Seco (Dry Needling)
  • Curso - Aprenda Auriculoterapia
  • Curso - Aprenda Ventosaterapia

  • Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube . Adicione no grupo do Whatsapp

    Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

    Nenhum comentário