Saiba mais sobre a Tendinite de Calcâneo






A tendinite de calcâneo tem uma relação muito íntima com atividade física. 70% dos pacientes que desenvolvem essa patologia praticam esportes e 9 em cada 10 desses pacientes são corredores. As outras modalidades esportivas que também costumam apresentar tendinite de calcâneo são o tênis, badminton, voleibol e futebol.

Os tendões são formados por um tecido fibroso com fibras alinhadas em paralelo e pouco vascularizadas. Essas fibras fazem a transferência de força dos músculos para os ossos. O tendão do calcâneo liga o tríceps sural (panturrilha) ao calcâneo e é um dos responsáveis por saltos e por ficar na ponta dos pés. Na tendinite de calcâneo o alinhamento das fibras fica alterado, existem microrupturas e degeneração da estrutura, normalmente acometendo uma região de 2 a 6 centímetros acima do osso calcâneo, que é uma zona com vascularização reduzida (chamada de tendinite não-insercional). Ou pode acometer a junção do tendão com o osso calcâneo (chamada de tendinite insercional), esse tendão ficará mais espesso e o paciente apresentará dor durante a palpação.

A tendinopatia é uma lesão de sobrecarga ou por esforço repetitivo, que afeta um ou mais tendões, gerando muita dor, inflamação e até deformidades ósseas quando crônicas. Os tendões são estruturas anatômicas que unem os músculos aos ossos, dando movimento aos mesmos. Portanto, em todo corpo, onde há tendão, pode haver tendinite. No pé e tornozelo não é diferente. 

Como evitar

Tipos anormais de pé (como o pé plano e cavo) e alterações no ciclo de marcha aumentam o risco de gerar uma tendinopatia. Apenas uma pisada errada, encurtamentos e outras pequenas alterações que já desequilibram a musculatura podem gerar o processo degenerativo, por isso, para evitar a lesão, é necessário adquirir um tênis adequado, não exagerar nos treinamentos, fazer uma avaliação ortopédica para ver a pisada e analisar se existe alguma irregularidade na mecânica.

Também é importante ter um período de recuperação para satisfazer as exigências crescentes sobre os tecidos; quando o descanso é inadequado, ocorre a não recuperação celular e, consequentemente, a inflamação. Portanto, a inflamação do tendão é uma reação secundária.

As principais causas da tendinite de calcâneo estão relacionadas com treinos muito intensos ou excesso de carga, que aumentam a tração do tendão. Quando essa tensão é maior que a que o tendão pode suportar e o tempo de recuperação é menor que o necessário, acontece a lesão. Da mesma forma, alterações da mecânica e da pisada (como as pisadas pronada ou supinada) causam desalinhamento dos pés e as forças exercidas no tendão são mal distribuídas, também levando à lesão. Outros fatores corroboram para o surgimento da tendinite, como:

  • Excesso de uso do tendão Aquiles;
  • Tensionamento anormal do tendão Aquiles ou a da panturilha;
  • Pratica de corrida em subidas;
  • Uso excessivo de acessórios que dificultam o treino, por exemplo: caneleiras;
  • Falta de amortecimento do impacto no calcanhar;
  • O uso de calçados inadequados;
  • O aumento na intensidade ou alteração de treino;
  • Sobrepeso;
  • A falta de flexibilidade;
  • Os traumas repetitivos.

O tratamento para a tendinite é feito com anti-inflamatórios receitados pelo médico, uso de bolsas de gelo de 3 a 4 vezes por dia por, aproximadamente, 20 minutos de cada vez, e fisioterapia. 

A tendinite tem cura, mas para alcançá-la é muito importante deixar de realizar a atividade que a provocou ou qualquer outro esforço com o membro afetado, para dar tempo para o tendão recuperar-se. Se esta medida não for cumprida, é pouco provável que a tendinite seja completamente curada, podendo gerar uma lesão crônica chamada de tendinose, onde há um comprometimento mais grave do tendão, que pode até mesmo levar à sua ruptura.


Saiba mais sobre a Tendinite de Calcâneo Saiba mais sobre a Tendinite de Calcâneo Editado por saude.chakalat.net on 09:14 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.