Fisioterapia na Tendinite do Quadril






No quadril, os tendões dos músculos glúteos (máximo, médio e mínimo) são os mais acometidos por tendinites. A dor se localiza na região lateral do quadril (sobre o trocanter do fêmur) podendo irradiar pela face lateral da perna. O tendão do músculo ílio-psoas e dos músculos adutores também são regiões comumente acometidas por processo inflamatório e/ou degenerativo. 

Geralmente, a tendinite no quadril afeta atletas que praticam atividades físicas que envolvam o uso excessivo das pernas, como corrida, ciclismo ou futebol, mas também pode surgir em idosos devido ao desgaste progressivo da articulação do quadril.

A tendinite no quadril tem cura na maior parte dos casos, no entanto, as chances de cura são maiores em pessoas jovens que fazem fisioterapia.

Causas

O aumento da carga de exercício de forma abrupta e o excesso de impacto do tendão contra proeminências ósseas são as causas das tendinites. Além disso, pacientes que apresentam algumas anormalidades biomecânicas como o "valgo dinâmico" podem potencializar a sobrecarga nestes tendões e acelerar o aparecimento das tendinites ou tendinopatias. Estas alterações podem acometer, principalmente, corredores de longa distância e aqueles que fazem muitas provas de intensidade alta, por exemplo, que incluem subidas. Entretanto, muitos pacientes sedentários com sobrepeso ou com disfunções biomecânicas podem apresentar este mesmo quadro clínico.

Sintomas

Os sintomas de tendinite no quadril podem incluir:

  • Dor no quadril, que piora ao longo do tempo;
  • Dor no quadril, que irradia para a perna;
  • Dificuldade para movimentar as pernas;
  • Cãibras nas pernas, especialmente após longos períodos de repouso;
  • Dificuldade para caminhar, sentar ou ficar deitado sobre o lado afetado.

O paciente com sintomas de tendinite no quadril deve consultar um fisioterapeuta ou ortopedista para fazer um exame físico, diagnosticar o problema e iniciar o tratamento adequado.

Avaliação

Para o diagnóstico devemos analisar o quadro álgico, histórico médico do paciente e movimentos funcionais. Muitas vezes o médico também pedirá exames de imagem para confirmar essa patologia, o que não exclui uma avaliação completa.

Durante a avaliação devemos analisar alguns fatores como:

● Sensibilidade na região;

● Testar a força das musculaturas que realizam movimentos do quadril;

● Verificar compensações durante movimentos da marcha;

● Conferir se não existem outras patologias afetando o quadril.

Tome bastante cuidado com seu aluno. Dependendo da evolução do quadril mesmo movimentos com amplitude pequena e sem força causam dor. Apesar de o ideal ser não causar dor alguma ao aluno, ainda precisamos completar a avaliação.

Em geral, durante a avaliação você perceberá alguns padrões de dor em pacientes com bursite de quadril. É normal apresentarem dor na região lateral do quadril e sensibilidade sobre o trocânter maior, que é aumentada pela rotação externa e abdução.

Também perceba que só o fato da pessoa sentir dor em certos movimentos já é um indicativo de seu quadro. Anote tudo que ela relata durante a avaliação para depois juntar as peças desse quebra cabeças de compensações que se instalou em seu corpo.

Por fim, também é importante avaliar aqueles fatores de risco que mencionei mais acima no texto. Eles podem ajudar a descartar outras patologias ou confirmar a bursite de quadril.


Tratamento

O tratamento das tendinites pode ser dividido em dois tempos: a etapa 1 de alívio da dor, inflamação e edema, utilizando-se de técnicas de Eletrotermofoterapia com laser, ultra-som e terapia combinada, além de liberação miofascial e terapia manual. E a etapa 2 visa a correção das prováveis disfunções biomecânicas por meio de exercícios de fortalecimento, flexibilidade, mobilização articular e treinamento sensório-motor. O tratamento conservador apresenta ótimos resultados, podendo resolver completamente o caso em algumas semanas.

Exercícios para tendinite no quadril

Os exercícios para tendinite no quadril ajudam a fazer o aquecimento dos tendões e, por isso, aliviam as dores. Porém, devem ser evitados caso estejam causando dor intensa.

Exercício 1: Balançar as pernas

Exercício 1: Balançar as pernas

Para fazer este exercício, deve-se ficar de pé ao lado de uma parede, segurando a parede com o braço mais próximo. Depois, deve-se levantar ligeiramente a perna mais afastada da parede e balançá-la 10 vezes para a frente e para trás, levantando-a o máximo possível.

Depois, a perna deve voltar à posição inicial e o exercício deve ser repetido, balançando a perna de um lado para o outro em frente da perna que está apoiada no chão. Terminar o exercício, repetindo os passos com a outra perna.

Exercício 2: Alongamento do quadril

Exercício 2: Alongamento do quadril

Para realizar o segundo exercício, a pessoa deve-se deitar de barriga para cima e dobrar o joelho direito em direção ao peito. Com a mão esquerda, puxar o joelho direito para o lado esquerdo do corpo, mantendo a posição mostrada na imagem 2, durante 20 segundos. Depois, deve-se voltar à posição inicial e repetir o exercício com o joelho esquerdo.

Com ajuda daqui


Quer se tornar um especialista em reabilitação de Quadril? Você não pode perder essa certificação! Clique AGORA na imagem!

https://cursoquadril.blogspot.com/2019/04/programa-de-certificacao-completa-de.html



Dicas para Profissionais:
  • Guia de Testes Ortopédicos
  • Curso de Agulhamento a Seco (Dry Needling)
  • Curso - Aprenda Auriculoterapia
  • Curso - Aprenda Ventosaterapia

  • Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube . Adicione no grupo do Whatsapp

    Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

    Nenhum comentário